Em sessão ordinária, vereadores debatem diversos temas de interesse da população.

A Câmara Municipal de Juripiranga realizou nesta quarta-feira dia 23 de outubro, mais uma sessão ordinária dando andamento ao ano legislativo da Casa.

A sessão transcorreu normalmente, iniciando-se com os protocolos de execução do Hino da Paraíba, a leitura da Ata da sessão anterior e a chamada dos vereadores.

Com a exceção do presidente Tiago Mariz, que não compareceu, mas justificou sua ausência, os demais vereadores estiveram presentes.

Como não havia nenhuma matéria à ser examinada, uma vez que os projetos de lei encontram-se em trâmite nas comissões competentes, o presidente em exercício, vereador Ademilson Chaves, abriu espaço para o Grande Expediente, que foi aberto pelo vereador Caio Neto.

O vereador Caio Neto em sua fala comentou sobre os questionamentos de uma parte da população que vem criticando a postura de alguns vereadores durante as sessões que não usam a tribuna para debater os projetos ou discutir assuntos do interesse da cidade. Ele lembrou a grande quantidade de obras em andamento na cidade como pavimentação de ruas, reformas de escolas e construção de creches e que estas ações não são discutidas em plenário, o que segundo ele deixa a população insatisfeita com o poder legislativo, que cobram que os vereadores deveriam discutir mais os assuntos na tribuna na Câmara Municipal. Ressaltou que a discussão em plenário dos projetos em trâmite por parte dos vereadores é boa para a Casa, para os próprios vereadores e para a população. Também cobrou a volta das sessões itinerantes da Câmara, uma ação que buscava levar o Poder Legislativo Municipal mais perto da população pelos quatro cantos do município.

O presidente em exercício, vereador Ademilson Chaves pediu uma parte para falar que existia uma dificuldade de deslocamento das caravanas e de disponibilização de equipamentos como instalação de microfones e a baixa participação da população nas sessões itinerantes. Porém, disse que acha interessante a volta das sessões e que cabe aos vereadores decidirem pelo retorno destas ações.

O vereador Caio Neto voltou a falar e reconheceu os problemas de transporte e instalação de equipamentos nas sessões itinerantes antigamente, mas sugeriu que é possível fazer uma ação dessa nos dias de hoje com apenas uma caixa amplificada e um microfone, facilitando a operação.

O vereador Edson Manoel dos Anjos em sua fala disse que concorda com a volta das sessões itinerantes e que o que for melhor para a população e o município ele apoia. Também aproveitou para informar que vai apresentar uma indicação ao Poder Executivo Municipal para que o município construa quadras de esporte nos colégios municipais.

O vereador Rozil Pereira usou a tribuna para relatar uma denúncia que o mesmo recebeu que máquinas da Prefeitura de Juripiranga estão sendo usadas no carregamento de caçambas particulares que compram aterros na propriedade do Sr Antônio de Augusto, dizendo que é preciso averiguar esta denúncia e que se comprovado é algo inaceitável, já que segundo ele isso é uma prática que está beneficiando financeiramente funcionários da prefeitura ao invés de se utilizar as máquinas em benefício da população. Ele disse que a partir de agora vai fiscalizar esta ação. Ele também questionou sobre a mudança no horário das sessões da Câmara, dizendo que quando eram realizadas no período noturno, o povo comparecia mais e que várias pessoas o questionaram sobre esta mudança, concordando que a alteração da sessão para o dia foi um equívoco da Casa.

O vereador Edson Manoel dos Anjos voltou a falar para rebater o vereador Rozil Pereira sobre a mudança no horário das sessões, dizendo que os nove vereadores aprovaram a mudança. Também disse que as sessões noturnas estavam atraindo pouquíssimas pessoas e pelo menos pela manhã, o povo da zona rural pode comparecer, reforçando que acha melhor a sessão no período da manhã.

O vereador Rozil Pereira pediu uma parte na fala do vereador Edson Manoel dos Anjos, sendo concedida, e voltou a falar sobre o questionamento do horário das sessões, dizendo que a reclamação partiu de muitas pessoas que o procuraram e que quase não vê ninguém da zona rural frequentando a Casa, já que segundo ele, a população que mora nos sítios costumam acompanhar as sessões em suas residências pelo rádio. Sugeriu também que se fizesse uma enquete no rádio para saber a opinião da população sobre este assunto.

O vereador Edson Manoel dos Anjos voltou a falar, sustentando que a sessão no período da manhã para ele é melhor e que a falta de transporte a noite para o povo da zona rural se deslocar penaliza esta população de assistir as sessões.

O vereador Caio da Costa Araújo parabenizou o vereador Caio Neto pela sugestão da volta das sessões itinerantes nos bairros, dizendo que a ação vai ser boa até para os vereadores que não usam muito a tribuna melhorarem seus discursos, dizendo que é a favor da ideia.

O vereaor José Cláudido Cândido também se posicionou a favor do retorno das sessões itinerantes, se colocando a disposição dos colegas e da população para apoiar o que for de melhor para o povo. Ele também reconheceu que não é de usar constantemente a tribuna, mas ressaltou que o povo sabe do seu trabalho, criticando o fato de alguns colegas não estarem perto do povo. Disse que não vê necessidade de estar discutindo os assuntos o tempo todo e que importa mesmo é o trabalho junto as pessoas. Defendeu apuração das denúncias apresentadas pelo vereador Rozil Pereira, dizendo que o serviço público tem que ser voltado para a população em geral e não para beneficiar alguns.

O vereador Caio Neto voltou a tribuna para destacar a participação dos vereadores durante a sessão. Disse também que se as denúncias feitas pelo seu colega de Casa, vereador Rozil Pereira,forem fundamentadas em provas consistentes como fotografias, terá seu apoio. Em reposta ao vereador José Cláudio Cândido, Caio Neto reconheceu que todos os vereadores que fazem parte desta legislação foram eleitos pelos seus serviços bem prestados a população e que observa todos trabalhando pelo povo, mas que a participação nas discussões é necessária e que não é interessante e nem é bom para a imagem da Casa e dos vereadores, uma sessão realizada apenas com a leitura da Ata da sessão anterior e chamada dos vereadores, sem haver nenhum debate de assuntos que interessem a população.

O vereador Elton José pediu uma parte na fala de Caio Neto, sendo concedida, para dizer que antigamente a Casa vivia cheia de gente porque os projetos de lei que chegavam eram congelados e a população comparecia para ver as confusões, dizendo que hoje em dia não tem mais esse problema e os projetos são votados normalmente. Também falou ao vereador Rozil Pereira que o mesmo quando vier a Câmara com as denúncias que venha preparado com provas, por que apenas comentários vão até facilitar a ação dos que podem estar cometendo irregularidades. O vereador Rozil Pereira também pediu uma parte para dizer que não está querendo prejudicar ninguém, mas sim averiguar as denúncias que chegaram até ele.

O vereador Caio Neto voltou a falar que os projetos antigamente não eram congelados e sim eram colocadas emendas que faziam com que o projeto tivesse que ser discutido e isso era importante.

O Presidente em exercício, vereador Ademilson Chaves falou que sobre a denúncia do possível uso indevido de máquinas públicas do município, dizendo que precisa ser apurado. Falou também sobre a mudança de horário dizendo que é importante fazer uma experimentação para ver se pode dar certo. Ele também reconheceu que até agora não presenciou ninguém da zona rural participar da sessão, dizendo que o horário ainda está em teste e se for da vontade da maioria que o horário volte para o período noturno ele apoiará.

O vereador Rozil Pereira pediu uma parte ao vereador Ademilson Chaves, sendo concedido, para reforçar mais uma vez que fosse submetida a rádio uma enquete sobre o tema e que a partir daí a Câmara de Juripiranga tomasse a decisão de mudar ou não o horário das sessões.

O vereador Ademilson Chaves concluiu sua fala dizendo que cada Câmara Municipal deve se adaptar as mudanças que precisem ser feitas, mas que pessoalmente prefere as sessões no período da noite.

O vereador Sérgio Cabral também defendeu uma apuração sobre as máquinas públicas estarem sendo usadas indevidamente no município, concordando com o vereador Elton José de que é preciso ter provas sobre o caso.

Os vereadores Rozil Pereira e Sérgio Cabral ainda voltaram a falar, desta vez comentando sobre um motorista da prefeitura que tratava mal os passageiros nas viagens para atendimento médico nas capitais, dizendo que o mesmo não tem condições de exercer a função. Em resposta, os vereadores Elton José e Caio Neto repassaram que o referido motorista não faz mais parte do quadro servidores do município.

E nada mais  tendo a tratar, o presidente em exercício, Ademilson Chaves, encerrou a sessão, convidando os colegas vereadores para a sessão da próxima quarta-feira dia 30 de outubro.

Realização: Câmara Municipal de Juripiranga, Casa Caio Correia de Araújo.

 

COMPARTILHAR